quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Quem gosta de poesia...



Quem gosta de Poesia
não buzina, 
no segundo seguinte ao abrir o sinal,
porque sabe que há mais Poesia na espera, 
que na pressa...

Quem gosta de Poesia
não fura fila, 
porque sabe que há mais Poesia no respeito, 
do que na "esperteza"...

Quem gosta de Poesia
não fala aos berros, 
porque sabe que há mais Poesia no silêncio, 
do que na gritaria...

Quem gosta de Poesia
não bate, 
porque sabe que há mais Poesia no carinho 
e não há, definitivamente, Poesia na violência...

Quem gosta de Poesia
elogia,
porque sabe que há mais Poesia no elogio, 
do que na crítica...

Quem gosta de Poesia
trabalha,
porque sabe que há mais Poesia no trabalho, 
do que no ócio permanente...

Quem gosta de Poesia
ajuda,
porque sabe que há mais Poesia na ação, 
do que no improdutivo sentimento de pena...

Quem gosta de Poesia,
para melhor senti-la e compreendê-la,
esforça-se por vivê-la
em atitudes do dia a dia...
(Maria Mogorim)


Na Festa da Vida...

(Obra de Alexandre Meldau, Artista Plástico de Balneário Camboriú, SC)

Fases, faces, fatos, fitas...
Cada um dá o seu jeito
para as fotos saírem bonitas...

A dor que não é escrita
não aparece na foto...
Olho-me no espelho
e meu batom retoco...

A lágrima que não chorei,
guardo dentro de mim...
Não borrou os meus olhos,
nem meu batom carmesim...

Me equilibro sobre os saltos,
os meus calos ninguém nota...
Cabe a mim a decisão
de calçar sapato, ou bota...

Depois de feita a escolha,
mesmo que me faça bolha,
a ignoro sorrindo e,
em meu vestido lindo,
aproveito toda a festa...

Depois da festa acabada,
volto pra casa cansada
e trato, com cuidado, do calo...
As lembranças da linda festa,
da valsa e da seresta,
serão sempre meu regalo...

terça-feira, 26 de junho de 2012

Estética



As belas e o Vinícius
que me desculpem, afinal
para mim beleza
não é fundamental.
Beleza é uma questão
de preferência pessoal.

A quem esqueça o conteúdo
e só veja a embalagem.
Amores desse tipo
têm curta “quilometragem”.

A quem julgue o cidadão
pela cor da sua meia,
outros nisso não reparam
estão com a cabeça cheia...

Aparência é só isso,
é isso mesmo,
isso só:
É a casca e não me basta.
É muito pouco, tenha dó!

Quem compra um perfume caro
só pela beleza do frasco,
é como alguém que no Grand Canyon
só vê um “grande penhasco”.

A vida é muito mais sublime,
mais complexa, mais profunda...
Difícil aceitar que alguns
só reparam mesmo na b..............

Desculpem não resisti
a esta malcriação,
mas isto é assunto sério,
não é brincadeira não!

Um livro não deve ser julgado
somente por sua capa.
É como conhecer uma cidade,
olhando só para o mapa.

A mim não importa se é de “grife”
a roupa que veste o cidadão.
Me preocupo se ele tem casa,
comida, educação...

Outros não se preocupam
com a crise mundial.
Só veem o próprio umbigo:
Há algo mais, afinal?

O grande poeta, Fernando Pessoa, já dizia:
Se a alma não é pequena, tudo vale a pena!
Mas se você analisa muito a aparência,
há de perder o mais importante:
A beleza da essência!

Por isso eu lhe peço
amigo, amiga, irmão:
Siga o conselho de Exupéry:
“veja com o coração!”
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Culpa




Quanto pesa a sua culpa?
Pouco? Muito?
Não importa!
Importa saber por que
você ainda a suporta!

Arrependeu-se? 
Então perdoe-se, 
deixe-a de castigo atrás da porta...

Abandone-a à beira do caminho,
jogue-a de um precipício,
afogue-a em algum laguinho...

Tenha coragem para enterrá-la,
bem longe do seu quintal!
Livre-se deste peso,
liberte-se desse mal!

Comprometa-se e o mesmo erro
não cometa mais...
Talvez erros diferentes,
nunca erros iguais!
(Maria Mogorim)

Somos...


Somos nossos pensamentos?
Palavras, ou sentimentos?
Tudo ao mesmo tempo...
Só não somos o que já fomos...
O que perdeu-se no vento...
(Maria Mogorim)

Mente de Poeta


Na mente do Poeta,
sonho e realidade
não se confundem,
se fundem,
para toda a eternidade...
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 30 de maio de 2012

PRIMAVERA (Bougainville)


Aí está ela!
Novamente adornando a minha janela...
Atrevida, insiste em invadir meu quarto...
E quando, ao anoitecer, vou fechá-lo,
gentilmente, peço licença
e a empurro para fora,
pois, já se nota, o adiantado da hora...

Olho-a deslumbrada com a exuberância
deste crescimento repentino,
como o “estirão” de um menino
que vê encurtarem suas calças...

Desavisada, fora da estação,
floresce, corajosa e colorida,
toda contente da vida!

Pensei em contar-lhe
que não é primavera
e o verão já acabou!
Que o outono quase finda,
não é inverno ainda,
mas ele já se anunciou...

Ao vê-la assim tão bela,
parecendo uma donzela
que para a festa se enfeitou,
calei, entrando na fantasia:
_ Que seja Primavera todo dia!
Se ela assim desejou...
(Maria Mogorim)

terça-feira, 17 de abril de 2012

Investigação


Fumaça,
fogo,
fuligem...

Enjoo,
tontura,
vertigem...

Paixão,
amor,
afligem...

É mais fácil 
solucionar um problema,
quando descobrimos sua origem...
(Maria Mogorim)

Relatividade


O tempo é relativo...
O espaço talvez não...
Só assim pode-se explicar
como, por tantos anos, 
um amor pode habitar,
com a mesma intensidade,
o espaço do coração...
(Maria Mogorim)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Os ricos...


Todos podem
caminhar descalços no gramado,
apreciar os verdes prados...
Os ricos podem mais...

Todos podem 
contemplar o azul dos oceanos,
aprender com os seus enganos...
Os ricos podem mais...

Todos podem
apreciar uma noite de lua,
confraternizar com os vizinhos da rua...
Os ricos podem mais...

Todos podem
viajar em pensamentos e lembranças,
reacender a luz da esperança...
Os ricos podem mais...

Todos podem
apreciar o calor do sol,
cultivar um girassol...
Mas os ricos podem mais...

Calma! Controle sua indignação!
Falo dos ricos de espírito,
da grandeza do coração!

Dinheiro pode ser muito bom,
mas não compra o verdadeiro dom...
O dom de ver além do olhar,
valorizar a vida, amar, amar, amar...
(Maria Mogorim)

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Duelo



A minha Poesia não a pude terminar...
Foi dilacerada, fragmentou-se no ar...

A lâmina foi a dor,
da espada do amor,
atravessou o meu peito,
não pude mais respirar...

Derrotou-me no combate
e fugiu, em disparate,
este reacionário amor bandido!

Agora é ele quem chora,
pois não terá mais o prazer
de poder duelar comigo...
(Maria Mogorim)

A Cidade


A cidade tem pressa,
mas também tem praça...

O Poeta faz graça 
quando senta na praça,
fingindo não notar 
a pressa que se estressa...

Não é pirraça! 
Ele só quer 
que a pressa possa
apreciar, um pouco, 
a beleza do tempo que passa...
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Talvez...


Talvez eu queira...
Talvez não queira...
Talvez requeira...
O importante é decidir 
de que maneira
para evitar 
fazer uma besteira...
(Maria Mogorim)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ostra


Estou numa concha...
sou uma ostra que,
sem pérola,
jaz amarela...
(Maria Mogorim)

Pessoas


Há pessoas que são barcos:
flutuam leves pela vida,
ao sabor do vento...

Há pessoas que são moinhos:
o vento as toca,
suas pás se movem
sem nunca mudarem seus caminhos...

Há pessoas que são ilhas...
Há pessoas que são pontes...
Umas são muros...
Outras horizontes...

Eu?
Sou cada uma dessas coisas,
dependendo do instante...
Intensa, densa, inconstante...
(Maria Mogorim)

quinta-feira, 29 de março de 2012

PECADO


Pecado é não saborear a vida,
é viver sem ousadia!

Adiar a felicidade,
deixar para outro dia...

Não provar o que se tem vontade,
refugiar-se na monotonia...

A vida é uma orquestra,
toque esta sinfonia!

Não se preocupe demais com a letra,
mas nunca esqueça a melodia!
(Maria Mogorim)

MORTE

(Pintura de D. Zolan)
De repente a vida fica
mais vibrante, mais ardente...
Quando, por instantes,
a morte aproxima
seus ameaçadores dentes
de nossa carne 
macia e quente...

E quando ela parte
e, novamente, 
seguros nos sentimos,
vemos tudo diferente...
Sob um olhar 
de encantado menino!
(Maria Mogorim)

Preguiça II


Anda, anda! 
Que o sol está a pino!
Anda, anda! 
Já, já bate o sino!
Anda, anda! 
Levanta e vem!
Agora reclamas, mas verás 
que é para o teu bem!
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 28 de março de 2012

HOJE


Hoje estou velha, cansada... 
Não farei nada...
Ficarei aqui bebendo chá 
e beliscando algumas torradas...
Amanhã, talvez amanhã
eu acorde jovem e queira sair,
"curtir" a vida, inventar, 
ousar, transgredir...
Amanhã, talvez amanhã...
Hoje estou anciã...
(Maria Mogorim)        

quarta-feira, 14 de março de 2012

Problema de Poeta


Minha Homenagem a todos os Poetas pelo Dia Nacional da Poesia!

O problema do Poeta
é esta angústia infeliz,
este anseio não sei de quê,
esta urgência em ser feliz...

São as noites insones
por isto, aquilo, ou coisa alguma...
Suas lágrimas derramadas
formariam uma laguna...

Parece que pressente
que morrerá amanhã!
Precisa fazer algo hoje
ou sua vida terá sido vã...

Se algo aos outros é assombroso
Para ele pode parecer natural...
E de repente deslumbra-se
com algo em seu próprio quintal!

Às vezes seu riso é frouxo
causa até estranhamento,
pois não havia motivo
de graça naquele momento...

Ah! Que confuso é
este ser singular:
umas vezes quer ser borboleta,
outras peixinho no mar...

O coração do Poeta
é mesmo um problema:
vive mil e uma histórias
como um artista de cinema!
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Tempo de Poesia





Tranço  a Poesia 

por entre meus cabelos,

mas ela escorre, despretensiosa, 
apesar dos meus desvelos...

Se esvai no tic tac 
do relógio, pouco a pouco, 
quando ele insiste
em dar voltas como um louco,
que persegue os anos
das nossas vidas...
É o imbatível vencedor
ao final desta corrida...

E a Poesia?

Se com o tempo competisse
o venceria por certo,
com os grandes poemas
que compõem seus exércitos...

Ela dominaria o Tempo
com a beleza das palavras...
Poderia retrocedê-lo, 
congelá-lo, ou avançá-lo...
Ele seria obediente
como um valoroso vassalo...

Mas ela não compete,
isso não lhe interessa...
A Poesia, meu bem,
A Poesia não tem pressa!

(Maria Mogorim)

sexta-feira, 2 de março de 2012

A GIRAFA



GIBA, A GIRAFA,
GIRA SEU PESCOÇO NO AR,
TENTANDO ALCANÇAR
O RAMO DE FOLHAGEM...
TORCE, RETORCE, CONTORCE...
FICOU COM TORCICOLO
POR FAZER TANTA BOBAGEM!
(Maria Mogorim)

quinta-feira, 1 de março de 2012

EFÊMERA...


Qual efêmera miragem...
Névoa, bruma...
Borbulhante espuma
das ondas do mar,
ou de uma taça de champanhe
em uma noite de luar...

Não sei "ser" só sei "estar"...
Não podem me ter...
só me sentir, me querer, me amar...
(Maria Mogorim)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

MEL


Tenho um caso 
de amor com vida,
mas ela não me é totalmente fiel...
Como o apicultor faz com as abelhas,
às vezes rouba-me o mel...
(Maria Mogorim)

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Jovialidade


Entusiasmo 
e alegria de viver
não são atributos 
exclusivos dos jovens.
Nada tem a ver com a idade:
é um estado de espírito, 
um traço da personalidade...
(Maria Mogorim)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

SEMPRE


Sempre ajudar,
sempre amar,
sempre ter fé,
sempre um cafuné,
sempre ter esperanças,
sempre cuidar das crianças,
sempre ser aprendiz,
sempre buscar ser FELIZ!
(Maria Mogorim)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Pensamento do Dia

(Não sei a autoria da imagem. Peguei de uma antiga revista. Se alguém souber, por favor, comunique! Obrigada!)


"Bons argumentos não me convencem, 

eu não me iludo!

Uma prisão é uma prisão!

Não importa se é de cetim,

ou de veludo!"

(Maria Mogorim)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

CHUVA


                                     Chuva mansa
  que molha meu rosto,
acaricia minha alma
e lava o meu desgosto...

Chuva branda,
suave, tranquila,
toca minha pele
e me rejubila!

Chuva calma,
macia, serena,
perfumada e delicada
qual flor de açucena...

Chuva fina, bem fraquinha
também chamada garoa
traz certa melancolia
e vontade de ficar à toa...
(Maria Mogorim)

domingo, 5 de fevereiro de 2012

REI LEÃO


Abram os portões!
As trombetas vão soar!
O Rei Leão,
Senhor de toda a floresta,
acaba de chegar!

Entra sacudindo a juba,
não precida de ajuda
para inflamar a multidão!

Se apressa o mico esperto,
para acompanhar de perto,
o "Poderoso Chefão"...
Fingindo-se de criado,
o miquinho malcriado,
espera poder tirar
vantagem da situação!

(Maria Mogorim)

CASO EXTRACONJUGAL


Confesso!
Tenho um caso extraconjugal...
Sou amante da Poesia
com ela me encontro todo dia
sem rodeio ou ritual...

Nesse nosso abraço lascivo,
os versos muito vivos,
se entrelaçam em comunhão...

A trilha sonora é a mais bela,
melhor que a de novela,
o bater emocionado
do meu entregue coração...

(Maria Mogorim)

Lua




A lua parecia
uma fatia de melão maduro,
deslizando na noite de veludo escuro...
Enamorando-se do gato que passeava pelo muro...

Ou talvez fosse 
o sorriso do gato de "Alice"
rindo gostoso das bobagens que eu disse...

(Maria Mogorim)